Conceio de baquelite

O químico Leo Hendrik Baekeland, nascido em 1863 na Bélgica e falecido em 1944 nos Estados Unidos, foi o descobridor de uma resina sintética cujo nome lhe presta homenagem. Seu sobrenome Baekeland deriva do termo inglês “bakelite”: para nossa língua, o conceito chegou como baquelite.

A baquelite é um plástico sintético que Baekeland criou em 1907, embora houvesse alguns experimentos anteriores realizados pelo alemão Adolf von Baeyer. Dois anos depois de sua descoberta, Baekeland a tornou conhecida em um nível formal e depois fundou uma empresa para explorar comercialmente a baquelite. Graças à sua criação, este cientista conseguiu se tornar um milionário.

A baquelite é um polímero: uma macromolécula que é obtida a partir da ligação de outras moléculas mais simples que são chamadas de monômeros. Esta substância é considerada a primeira resina plástica absolutamente sintética.

A baquelite possui várias propriedades que a tornam uma resina amplamente utilizada em diversas áreas da indústria. Pode-se dizer que a baquelite é termoestável: é insolúvel (não se pode dissolver) e infusível (não se pode derreter). Enquanto se forma é possível moldá-la e, depois, ela se solidifica.

A baquelite resiste à ação de solventes e água. Por outro lado, não é um material condutor de eletricidade (por isso é usado para isolar terminais elétricos).

Os punhos e pegas dos utensílios de cozinha (como frigideiras e panelas), os botões de elementos expostos ao calor e as carcaças dos telefones são algumas das peças que costumam ser feitas com baquelite.

Matéria completa na fonte :: https://conceito.de/baquelite

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *