O Tribunal Penal Internacional está recrutando mulheres advogadas africanas

O Tribunal Penal Internacional está recrutando mulheres advogadas africanas para representar arguidos e vítimas na corte.

Para atuar na corte, as mulheres deverão se inscrever na “Lista de Conselhos” ou na “Lista de Assistentes de Conselhos”.

As candidatas deverão comprovar competência e experiência em leis penais internacionais e seus procedimentos.

Para ingressar na “Lista de Conselhos” , as candidatas deverão possuir pelo menos dez anos de relevante experiência em procedimentos criminais como juízas, promotoras ou advogadas. Já para compor a “Lista de Assistentes de Conselhos” basta cinco anos.

É exigido também fluência nos idiomas empregados no Tribunal Penal Internacional, quais sejam: inglês e francês.

É uma excelente iniciativa da corte, que proporciona às africanas uma atuação importante nas relações exteriores.

Source:: Direito Internacional Penal

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *