Conceito de arquétipo

arquétipo

Arquétipo é o mesmo que protótipo, representando o primeiro modelo de alguma coisa. E esse termo costuma surgir em distintas áreas, tais como na psicologia, na filosofia e mesmo na ciência que estuda as narrativas (de ficção e de não-ficção).

Arquétipo diz respeito a um modelo ou protótipo de algo

Esse é um termo que costuma ser utilizados pelos filósofos que adotam a ideia do neoplatonismo (que compreende doutrinas e ensinamentos inspirados em Platão).

Para Platão, esse termo servia para descrever que as ideias eram modelos que se originavam do que já existia. Mas nos médio platônicos esse conceito era também presente.

O filósofo Plotino, que também adotou o neoplatonismo, é um dos que usavam esse termo.

Podemos resumir arquétipo como o padrão que trata de moldar conceitos, pessoas, entre outras coisas.

O arquétipo na área da psicologia

Na área da psicologia, o arquétipo diz respeito a algo pertencente ao neoplatonismo. E de acordo com essa concepção do termo, então existe um universo onde as coisas não mudam, havendo ali ideias que são originais. E, tendo isso como base, prega-se que as coisas não passam de uma reprodução do que há em outra dimensão.

Há ainda que se dizer que essa crença fez com que se alcançasse o Cristianismo que possuía relação com a filosofia. Esse é o Cristianismo filosófico, que une ideias da filosofia com a fé cristã e suas revelações para explicar distintos fatos e acontecimentos.

No que diz respeito ao termo relacionado com a filosofia cristã, o mesmo teve Santo Agostinho como seu propagador, conta-se que esse ato de Agostinho teve a influência no que escreveu o filósofo neoplatônico Porfírio de Tiro.

Ainda, na psicologia analítica, que foi uma invenção de Carl Gustav Jung, o arquétipo diz respeito às imagens primitivas que são colocadas no inconsciente coletivo a partir do começo dos tempos, criando um reservatório de imagens. E esses estão relacionados aos seres humanos desde os primórdios, agindo no amadurecer da mente dos seres humanos.

O mundo das ideias e o arquétipo

conceito de arquétipo
Platão acreditava que existia um mundo onde as coisas não mudavam e que dava origem a tudo o que há em nosso mundo

É ainda importante dizer que tal conceito teve como origem a teoria chamada de mundo das ideias, concebida por Platão. Essa teoria relata que há um mundo onde não existem mudanças, que há ali a matriz das coisas que os seres humanos tratam como a sua realidade. Basicamente, o filósofo cria que por trás da realidade que conhecemos, a material, havia uma realidade que era algo abstrato.

Podemos tomar como exemplo quando se compra um punhado de balas, então aquelas balas têm o mesmo formato, então a pessoa se questiona o motivo daquilo (de todas as balas serem do mesmo formato) e a resposta é: por conta da forma. É a forma o que proporciona para essas balas um formato similar e o mesmo acontecia na teoria do mundo das ideias de Platão, havendo uma forma para todas as coisas que existem.

E ainda podemos tomar como exemplo uma cadeira, que mesmo que exista diversos formatos e tamanhos dela (cadeira altas, baixas, feitas de madeira, de ferro, com três e quatro pernas, etc.), a ideia de cadeira permanece: um objeto criado para que uma pessoa se sente. Mas para que pudéssemos compreender isso teríamos que usar a razão, sendo isso essencial na teoria do mundo das ideias de Platão.

Arquétipo de marca

O conceito de arquétipo existe também no meio empresarial, com o arquétipo de marca que se trata de um grupo de padrões usados com o propósito de elaborar valores e a imagem de uma marca, apresentando ainda a visão dessa marca e no que ela acredita.

Por meio do arquétipo de marca se consegue fazer a categorização de marcas, sabendo ainda como essas são posicionadas diante do mercado. Podemos ver esse arquétipo como a personalidade de uma marca, tal como as pessoas possuem a sua própria personalidade. E isso é importante para que a empresa seja capaz de se conectar com seus clientes. Nos dias atuais, onde os clientes prezam por um contato mais próximo com as marcas, isso se torna cada vez mais fundamental.

Podemos destacar alguns arquétipos de marca, como: o mago, o criador, a pessoa comum, o herói, amante, governante, inocente, sábio, etc.

Um exemplo: uma empresa que inspira a simplicidade e pensamentos e atitudes positivas pode ser classificada como tendo o arquétipo “inocente”. O que a empresa apresenta são coisas simples, sem complicações, mas que cumprem bem com o seu propósito.

Por outro lado, se uma empresa lança campanhas publicitárias sempre com o foco em mudanças nas pessoas, também com foco em causar mudanças no mundo, se ela se mostra destemida, pronta para encarar desafios, mostrando também que é possível conquistar, então esse seria o arquétipo do “herói”.

Ainda, o arquétipo do fora da lei é aquele em que um negócio se mostra mais rebelde, descolado e sempre quebrando tabus. Esse negócio está constantemente inquieto quanto a situação da sociedade.

Matéria completa na fonte :: https://conceito.de/arquetipo

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.