Conceito de arcadismo

arcadismo

O Arcadismo foi um movimento literário que aconteceu entre os anos de 1756 e 1825 na Europa. Esse, que era classificado também como uma escola literária, opunha-se ao movimento artístico Barroco.

O Arcadismo se opunha ao movimento Barroco

Também conhecido como setecentismo (devido a ter iniciado nos anos de 1700) ou neoclassicismo, esse movimento caracterizava-se pelo uso de um vocabulário simplista, contudo que tinha formalidade, ao contrário do que acontecia com o vocabulário do Barroco, qual possuía uma linguagem mais culta.

O termo arcadismo tem origem em “arcádia“, que era um lugar campestre na Grécia antiga que era onde acontecia a reunião de poetas. Também se dizia que nesse local os pastores se reuniam e, em sua vida simplista, ali encontravam a felicidade.

No Arcadismo é comum a expressão inutilia truncat, que possui o significado de “eliminar o inútil”, isso remete a que esse movimento, diferente do Barroco, foca no que não possui exagero, onde conta-se que o desejo dos chamados árcades era esse, o de abandonar a complexidade e os exageros, tendo uma vida mais simples. E isso no Arcadismo era visto como importante a fim de que houvesse equilíbrio nas obras.

Características do arcadismo

Esse movimento teve a influência do Iluminismo (que defendia o racional ao invés da religiosidade) e também do avanço da industrialização na Europa. Cabe dizer ainda que o Arcadismo possuía uma relação com elementos da cultura clássica, tais como elementos renascentistas, romanos, etc.

Com o Arcadismo, as produções da literatura começaram a afastar-se do uso de uma linguagem rebuscada onde havia certa confusão, que eram características do Barroco. Assim havia mais clareza e também harmonização nos temas, mas sempre pendendo para o lado racional nas produções.

Esse movimentou se deu no Brasil entre os anos de 1768 e 1808, já em Portugal ele se deu entre 1756 e 1825.

Quanto a sua entrada no Brasil, isso aconteceu quando os brasileiros buscavam tornar-se um povo livre. Dentre os principais autores dessa escola literária estavam: Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga e Santa Rita Durão.

Cabe dizer que essa escola literária foi a última do período do Brasil Colonial.

Enquanto isso, esse movimento é introduzido em Portugal quando o país passa por transformações em sua sociedade, tal como a expulsão dos jesuítas. Nesse país, o autor de maior destaque do arcadismo foi Manuel Maria Barbosa du Bocage.

Sobre as frases nesse movimento

Há no Arcadismo uma busca da beleza que existe no que é simples. E para isso os autores desse movimento utilizam palavras que são comumente utilizadas no dia a dia.

No Arcadismo, escrevem-se as frases usando a ordem direta, com sujeito e após ele o predicado, tal como no exemplo: “ele ouviu o soprar do vento”, ao invés de usar uma escrita que segue a ordem indireta: “o soprar do vento ele ouviu” (uma ordem onde o predicado vem antes do sujeito).

Ainda sobre isso, nesse movimento não é costume o uso de figuras de linguagem, posto que que ele se trata de algo com simplicidade e mais direto, com as palavras significando o que elas são, sendo que isso ainda ajuda a tornar as produções literárias baseadas no Arcadismo em algo de mais simples compreensão.

É importante mencionar que o Arcadismo ainda possui como características a idealização do amor, o uso de temas do cotidiano, também abordava sobre coisas da natureza, a vida no campo, sobre pastores e, também, o bucolismo.

Arcadismo e Barroco

Para distinguir ambos, podemos falar sobre as características do Barroco que são a religiosidade, a fé, a exposição de ideias de maneira complexa e também o uso das figuras de linguagem.

Enquanto isso, o Arcadismo se prendia ao racionalismo, paganismo, apresentação de ideias de modo simples e um vocabulário simples também em uso.

Principais temas do Arcadismo

conceito de arcadismo
O Arcadismo prezava pela simplicidade

Os principais temas desse movimento são apresentados em forma de expressões em latim que eram comuns na época, por exemplo:

Fugere urbem: “fugir da cidade”, que significa dar valor para a vida que há no campo, sendo algo que ajuda a devolver o equilíbrio para os seres humanos;

Locus amoenus: significa “lugar ameno”, sendo um lugar tranquilo para onde as pessoas devem ir para conseguirem ficar em paz;

Aurea mediocritas: esse possui o significado de “equilíbrio de ouro”, que busca o equilíbrio.

Poeta fingidores e seus pseudônimos

Como os autores do arcadismo usavam pseudônimos ao invés do próprio nome, então era comum que eles fossem chamados de poetas fingidores. Esses também faziam imitação dos clássicos do período da Renascença.

Um exemplo disso é o poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage, que adotou o pseudônimo de Elmano Sadino ou também o poeta brasileiro José Basílio da Gama, que adotou o pseudônimo de Termindo Sipílio. Podemos citar também o caso do poeta Cláudio Manuel da Costa, que usava o pseudônimo de Glauceste Satúrnio, assinando assim suas obras.

Matéria completa na fonte :: https://conceito.de/arcadismo

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.